Aliança seleciona projetos para promover o acesso à água

Programa Água+ Acesso irá implantar novos pilotos no Norte e Nordeste até o fim de outubro

O Instituto Coca-Cola Brasil e os parceiros da aliança Água + Acesso anunciam os selecionados do edital que irá viabilizar pilotos com soluções inovadoras para o acesso e tratamento de água em comunidades de baixa renda.

Seis novos pilotos serão implantados até o fim de outubro em sete comunidades dos estados do Ceará, Pará e Amazonas, com investimento total de R$ 600 mil e beneficiando diretamente mais de 800 famílias e 3.200 pessoas.

A iniciativa faz parte do programa e aliança Água+ Acesso, lançado em março e fomentado pelo Instituto Coca-Cola Brasil, em parceria com Banco do Nordeste, Fundación Avina, Instituto Trata Brasil, WTT (World-Transforming Technologies) e algumas das principais organizações de acesso à água no Brasil como SISAR Ceará, Projeto Saúde e Alegria e Fundação Amazonas Sustentável. Juntas estas entidades atuam em mais de duas mil comunidades e beneficiam cerca de 600 mil no Brasil.

Ao todo, foram inscritas 114 soluções por universidades, empresas, inovadores, startups e desenvolvedores de soluções de todo o Brasil. Estas soluções buscam responder a alguns dos maiores desafios enfrentados por organizações de acesso à água nas regiões Nordeste e Norte, como o tratamento de água salobra, o acesso à energia para bombeamento de água em comunidades isoladas ou soluções de saneamento unifamiliares.

A escolha das soluções foi feita por um júri técnico composto por 14 dos mais importantes especialistas do tema no país e os locais para realização dos pilotos foram escolhidos pelas organizações parceiras por serem representativos à um grande número de comunidades.

“Somos um país com abundância de recursos hídricos e, por isso, é fundamental investir no tratamento e acesso à água. Grandes ideias nascem dos jovens, de pequenas empresas, da academia e em todas as escalas. É preciso revelar e estimular estes talentos que serão os protagonistas do futuro. Fazer parte do júri foi uma oportunidade especial de fazer conexão entre a teoria e a prática, discutir ideias e trocar conhecimento. Estabelecer esse diálogo entre diversos setores da sociedade é a melhor forma de avançarmos no acesso à água no país” afirma Marcia Barbosa, diretora do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e uma das principais especialistas em dessalinização de água do Brasil e do mundo.

“Os desenvolvedores selecionados tinham soluções prontas, com viabilidade econômica e técnica. O maior ganho do projeto é promover a saúde da população. Investir em acesso à água é também investir diretamente num ciclo virtuoso para as comunidades”, diz Ricardo Glass, fundador da Okena, empresa paulista de tratamento de efluentes certificada pelo Sistema B e um dos líderes do movimento Capitalismo Consciente Brasil.

O primeiro piloto do programa Água+ Acesso já está em fase de testes desde março na comunidade de Coqueiro no município de Caucaia (CE), com o apoio da Solar, fabricante da Coca-Cola Brasil no Nordeste. Na localidade com 150 famílias está sendo pilotada uma tecnologia que utiliza o gás ozônio para purificar a água. O equipamento trata três mil litros de água por hora, elimina contaminantes orgânicos e oxida metais pesados comumente encontrados no semiárido brasileiro.

Eficiência, disponibilidade e acesso são os pilares da estratégia da Coca-Cola Brasil

As estratégias e metas da Coca-Cola Brasil são baseadas em três pilares distintos: +Eficiência, com foco na gestão de recursos hídricos em fábricas e na cadeia produtiva; +Disponibilidade, que visa contribuir para a reposição e sustentabilidade de bacias hidrográficas; e +Acesso, programa liderado pelo Instituto Coca-Cola Brasil que busca viabilizar o acesso à água potável para comunidades de baixa renda de todo o Brasil.

“Estamos buscando evoluir o nosso cuidado com a água para além da atuação da empresa e dos muros de nossas fábricas. É por isso que o Instituto Coca-Cola Brasil inaugurou e definiu como um de seus temas e causas prioritárias o acesso à água. Como sabemos que este é um desafio grande e de todos, acreditamos que é fundamental cooperar e somar esforços com quem já faz para ampliar o impacto das boas soluções e modelos sustentáveis. Para além de um programa solo da companhia, o que estamos fazendo é uma aliança que integra empresas, governos e organizações da sociedade civil em algo maior e mais relevante para a sociedade”, afirma Rodrigo Brito, coordenador do programa de Acesso à Água no Instituto Coca-Cola Brasil.

O resultado completo pode ser conferido no site Água mais acesso

Fonte: Trata Brasil